Ficção, Livros, Opinião

Os Maias de Eça de Queiróz

Escrever sobre Os Maias é um enorme desafio porque não há nada de novo a acrescentar. Figurante da plano nacional de leitura, este clássico da literatura Portuguesa da autoria de Eça de Queiroz dispensa apresentações, tendo sido analisado ao detalhe por pessoas bem mais eruditas e preparadas do que eu. Assim, impõe-se o aviso prévio de que esta é uma percepção pessoal e que, provavelmente, no final da sua leitura ficarão a saber exatamente o mesmo que sabiam antes.

Dicas, Ensaios, Ideias e Devaneios

Café, livros e coisas boas que encontro pelo Porto

Que bebida costuma acompanhar a vossa leitura? No meu caso, consoante o horário, leio sempre com uma caneca de chá ou de café na mão. Para além de adorar bebidas quentes, a verdade é que as mesmas são um poderoso estimulante na hora leitura. Em especial, a cafeína aumenta a capacidade de manter um esforço intelectual e reduz a sensação de cansaço ou fatiga. Mantém a vigília e estimula a liberação de dopamina (estímulo de recompensa).

Ficção, Livros, Opinião

Foi Assim a Guerra das Trincheiras de Tardi

Visceral, cruel e necessário. Foi Assim a Guerra das Trincheiras confronta o leitor com um conjunto desconexo de histórias vividas nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial. Jacques Tardi, o artista por trás da obra, alerta-nos que esta não é a obra de um historiador É, sim, o relato de um conjunto de eventos não-cronológicos que refletem a sua própria indignação com o homem e o seu sofrimento.

Ficção, Livros, Opinião

A Hora da Estrela de Clarice Lispector

“A Hora da Estrela” é dos livros mais bonitos que li. A razão tem toda que ver com a linguagem de Clarice, que nos leva numa jornada tão pura. Em pouco mais de 90 páginas, o narrador conta-nos a história de uma menina tão feia e inocente que sem saber o que era a felicidade, a encontrava nas miudezas.

Devaneios, Ensaios, Ideias e Devaneios

E quando descobrimos que os nossos admirados são pessoas execráveis? A polémica de Enid Blyton e outros que tal…

Para quem não conhece a escritora britânica, a Enid foi autora das aventuras de “Os Cinco”, de “Os Sete” e pelo amigo de infância de várias gerações “Noddy” sendo inegável o seu impacto na vida de inúmeros leitores espalhados pelo globo, incluindo Portugal. Pessoalmente, nunca li os seus livros mas cresci a ver a adaptação televisiva do Noddy sendo que também eu me considero uma das suas influenciadas.

Listas, Livros

O que eu andei a ler em agosto

Agosto… meu querido mês de agosto, que leituras maravilhosas me proporcionaste. O Verão, por si só, é sinónimo de acréscimo no número de leituras porque os dias são maiores, geralmente aproveitamos para tirar férias e os fins-de-semana são passados ao ar livre. E não há melhor local para ler do que uma sombra num parque …