Foi Assim a Guerra das Trincheiras de Tardi

  • Editora: Levoir
  • Páginas: 160
  • Ano da Primeira Publicação: 1993
  • Género: Novela Gráfica

Visceral, cruel e necessário. Foi Assim a Guerra das Trincheiras confronta o leitor com um conjunto desconexo de histórias vividas nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial. Jacques Tardi, o artista por trás da obra, alerta-nos que esta não é a obra de um historiador É, sim, o relato de um conjunto de eventos não-cronológicos que refletem a sua própria indignação com o homem e o seu sofrimento.

Nascido em 1946, no pós-guerra, em Valence, França, Jacques Tardi tem uma ligação muito próxima ao cenário militar europeu. Filho de um militar de carreira, o Autor foi profundamente influenciado pelos relatos do seu avô, combatente na Primeira Guerra Mundial, pela Córsega para a criação desta obra que vinha preenchendo o seu imaginário desde a infância.

Os relatos de Foi Assim a Guerra das Trincheiras restringem-se ao lado francês. Afinal esta foi a experiência com qual o seu Autor contactou mas podiam dizer respeito ao qualquer outro país. Nas palavras do Autor, estas são as histórias de “homens que foram puxados um lado para o outro, arrastados pela lama, claramente insatisfeitos por se encontrarem em semelhante situação e cujo único desejo era o de sobreviverem uma hora mais, nada mais almejando que poderem voltar para casa”.

Num dos eventos narrados na novela, dois soldados, um alemão e um francês, dividem, por várias razões, o mesmo espaço durante 48 horas. Descobrem que têm em comum o cansaço de uma guerra que dura há demasiado tempo e que até nem são maus tipos. Fazem um pacto: “os dois estavam perdidos, que eram basicamente irmãos de em apuros. Se os alemães tomassem aquele território, seria Mazure o prisioneiro. Se fossem os franceses, Werner seria prisioneiro dele. Era então essa a sua proposta e parecia bastante justa. Teriam apenas de esperar, e assim não teriam de se matar um ao outro”.

O desenho de Tardi é minucioso e resume-se à utilização das cores preta, cinzenta e clara o que reflete, na perfeição, toda a atmosfera de morte e violência vivida entre 1914 e 1918. Tardi não nos poupa nem romantiza. Retrata, com especial detalhe, a dureza, a crueldade e o pragmatismo num cenário de Guerra. A sua compaixão sente-se em cada página desta novela o que torna este relato numa excelente peça literária. Desde logo porque se percebe que a sua intenção não foi chocar ou sensasionalizar a guerra mas, ao invés, honrar os homens que morreram ao serviço da mesma.

No fundo, é isto Foi Assim a Guerra das Trincheiras – a história de desconhecidos que, em face de circunstâncias extremas, fizeram tudo o que podiam para sobreviver. E os anos passam. E nada pode ser feito para lhes devolver a juventude, a dignidade ou a vida.

“Os homens são como as ovelhas, o que torna possíveis os exércitos e as guerras. Morrem vítimas da sua estúpida docilidade.”

Gabriel CHEVALIER, La Peur, cit in Foi Assim a Guerra das Trincheiras de Tardi.

Classificação: 5/5

Queres ler este livro? Podes comprá-lo aqui ou requisitar numa biblioteca perto de ti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *