Showing 32 Result(s)
Literatura & Ficção, Livros

Guerra e Paz de Liev Tolstói

A primeira vez que me enconcontrei com Tolstói foi arrebatadora. O livro escolhido foi a A Morte de Ivan Ilitch – reflexão desconcertante sobre a morte e a ausência de vida (que não são sinónimos). Desde aí, tenho procurado a oportunidade ideal para novo encontro tendo a encontrado com Guerra e Paz que se tornou na obra mais ambiciosa que li, na vida.

Literatura & Ficção, Livros

Vieram como Andorinhas de William Maxwell

Um pequeno livro com uma história tão terna sobre os desafios do quotidiano de uma família americana burguesa por alturas do final da Primeira Grande Guerra. No centro da narrativa está uma mãe e esposa amada pelos seus filhos, Bunny e Robert, e pelo seu marido, James. Estruturado em três planos, os personagens masculinos do livro falam ao leitor dos seus dias simples e rotineiros cujo equilíbrio é plenamente assegurado por essa figura maternal e doce. Um dia, aquela pacata casa é invadida pela gripe espanhola e, com a mesma, vem toda a tragédia que as verdadeiras pandemias trazem.

Literatura & Ficção, Livros

Tess dos Urbervilles de Thomas Hardy

Escrito em finais do século XIX (1891), Tess dos Urbervilles é, talvez, o romance de Thomas Hardy mais conhecido. Considerada peça basilar da literatura inglesa, a história da jovem Tess conquistou leitores, um pouco por todo o mundo, tendo inclusive ganho uma adaptação cinematográfica, em 1979, pelas mãos do polaco Roman Polanski.

Literatura & Ficção, Livros

Celestial Bodies de Jokha Alharthi

Uma das características mais fascinante dos livros é, para mim, a facilidade com que transportam o leitor para geografias e culturas que lhe são desconhecidas. O Sultanato de Omã é um pequeno país localizado na foz do Golfo Pérsico que, apesar das reservas modestas de petróleo, tem-se destacado como um importante destino turístico e exportador de peixe.

Literatura & Ficção, Livros

Os Maias de Eça de Queiróz

Escrever sobre Os Maias é um enorme desafio porque não há nada de novo a acrescentar. Figurante da plano nacional de leitura, este clássico da literatura Portuguesa da autoria de Eça de Queiroz dispensa apresentações, tendo sido analisado ao detalhe por pessoas bem mais eruditas e preparadas do que eu. Assim, impõe-se o aviso prévio de que esta é uma percepção pessoal e que, provavelmente, no final da sua leitura ficarão a saber exatamente o mesmo que sabiam antes.