Livros, Não Ficção, Opinião

Pyongyang – A Journey in North Korea por Guy Delisle

Antes de escrever sobre Pyongyang, sinto-me na obrigação de confessar que eu era muito avessa a novelas gráficas. Sim, fazia parte daquele grupo de incultos que via a banda desenhada e as novelas gráficas como produtos infantis. A minha opinião foi mudando à medida que fui contactando, de forma mais próxima, com leitores do género que me iam dando nota de bons títulos cuja temática era tudo, menos infantil.

Ficção, Livros, Opinião

O Nome da Rosa de Umberto Eco

Em 1327, a Igreja Católica atravessava uma das maiores crises da sua história com o surgimento do movimento Franciscano que apregoava a total pobreza evangélica. Entendendo que tal movimento colocava em causa os interesses da Igreja (rica em propriedades e bens de outra natureza), o Papa João XXII declarou que todos os que nele participavam …

Ficção, Livros, Opinião

As Brumas de Avalon: O Prisioneiro da Árvore de Marion Zimmer Bradley

Assim termina uma épica história que marcou gerações de leitores e Autores de fantasia. Nos últimos meses, As Brumas de Avalon, nas personagens de Morgana, Arthur, Lancelet e Gwen, tem feito parte da minha vida. Uma re-imaginação poderosa da lenda do Rei Arthur que me ofereceu algumas das cenas mais memoráveis que tive o prazer de ler. Para sempre, recordarei o casamento da Deusa com o Rei-Veado na floresta sagrada de Avalon, a morte de Vivianne ou o nascimento de Gwydion, entre outros eventos.

Listas, Livros

Oito livros que nem sempre lograram sucesso junto da crítica especializada

O que é que torna um livro num grande clássico? Ou num candidato sério ao Pulitzer, Prémio Camões, Man Booker Prize? Quem decide que uma determinada obra é intemporal? Dir-se-á a crítica especializada que será, na maioria das vezes, constituída por pessoas instruídas na arte literária. Mas a história ensinou que, nem sempre, o critico …

Ficção, Livros, Opinião

As Brumas de Avalon: O Rei Veado de Marion Zimmer Bradley

O terceiro volume d’As Brumas de Avalon prenuncia aquele que será o fim de Arthur ao explorar o surgimento de Gwydion, filho daquele com Morgaine. A par deste novo ator político, Morgaine é afastada da corte regressando às suas raízes pagãs e Gwenhwyfar envereda, cada vez mais, pelo fanatismo religioso levado com ela Arthur e toda a Bretanha.

Ficção, Livros, Opinião

As Brumas de Avalon: A Rainha Suprema de Marion Zimmer Bradley

O segundo volume d’As Brumas Avalon apresenta-nos personagens novas incrivelmente interessantes abordando a lei do Rei Artur, não só do ponto de vista feminino, mas igualmente teológico. O leitor é agora confrontado com o lado dos que apoiam a religião católica, personificado na esposa de Arthur, Gwynhefar, por contraposição ao paganismo, desta personificado por Morgaine.

Ficção, Livros, Opinião

As Brumas de Avalon: A Senhora da Magia de Marion Zimmer Bradley

A obra de Marion Zimmer Bradley dispensa grandes apresentações já que a mesma integrou o imaginário de inúmeros amantes de fantasia pelo mundo inteiro. Dividida em quatro volumes, As Brumas de Avalon reconta a lenda do Rei Arthur do ponto de vista das mulheres responsáveis pela sua ascensão.

Ficção, Livros, Opinião

O Som e a Fúria de William Faulkner

Editora: Coleção Mil Folhas – Público Páginas: 285 Ano da Primeira Publicação: 1929 Género: Ficção Classificação: 4/5 O Som e a Fúria de William Faulkner foi, seguramente, uma das leituras mais difíceis que tive o enorme prazer de fazer. Através de quatro relatos distintos, o Autor apresenta-nos a decadente família Compson. Descendentes de um general …

Listas, Livros

Dez Clássicos que Deveriam ser de Leitura Obrigatória

Sendo a presente secção dedicada às mais variadas listas literárias, nada melhor do que a inaugurar com um conjunto de títulos que muitas vidas mudaram e continuarão, certamente, a mudar no futuro. No seu livro de ensaios “Porquê ler os Clássicos?”, Italo Calvino procura definir o clássico como aquele livro intemporal que é mais vezes …

Ficção, Livros, Opinião

O Primo Basílio de Eça de Queiroz

Editora: Lello & Irmão – Editores Páginas: 556 Ano da Primeira Publicação: 1878 Género: Ficção – Realismo Classificação: 4/5 Não é segredo que Eça de Queiroz é o meu autor português favorito. Tenho quase todos os seus livros representando cada um deles uma experiência literária riquíssima – uma verdadeira viagem no tempo. Percursor do movimento …